Assine nossa newsletter

O setor de Eventos como alavanca para o Turismo


O setor de Eventos como alavanca para o Turismo

Quando o Turismo e sua cadeia produtiva passam a ser protagonistas de uma economia o resultado positivo é imediato para todos os envolvidos. São muitos os exemplos de destinos pelo mundo que conquistaram excelência, destaque e crescimento econômico, com muita estabilidade, ao realmente colocarem o setor turístico como carro-chefe de suas iniciativas e ações. Quero aqui destacar um destino que tenho acompanhado de perto: Gramado, na Serra Gaúcha.

Gramado é uma cidade com características diferenciadas, povo hospitaleiro e um bem querer especial. Diferente do que muitos pensam a cidade nem sempre viveu de Turismo. O nome Gramado surgiu na época da rota dos tropeiros condutores de gados dos Campos de Cima da Serra. Após longas viagens, repousavam nos gramados verdes, macios e tranquilos, onde o clima era agradável e ajudava a recompor as forças. Com o tempo passou a ser um local de “veraneio” e ideal para os visitantes que buscavam um clima ameno e características serranas.

A cidade descobriu seu potencial para o Turismo, com a vinda de um grupo de alemães de excelente formação que, olhando para bela paisagem, compreenderam que poderiam transformar a nova terra em um pedacinho da Alemanha no Brasil e logo receberam o apoio da comunidade local.

Após sua colonização e, com a emancipação, o espírito empreendedor de Gramado manifestou-se através de alguns visionários como Leopoldo Rosenfeld que investiu no ramo imobiliário e criou o Lago Negro. Carlos Nelz, médico alemão, que adquiriu e preservou grandes áreas de florestas. A. J. Renner que cultivou os pinheiros araucária. Oscar Knorr que criou um parque modelo iniciando o plantio da hortênsia.

As iniciativas desses empreendedores foram fundamentais para a preservação do meio ambiente e para a melhoria da qualidade de vida na região. No setor industrial, Ernst e Horst Volk tornaram a marca de calçados Ortopé uma referência nacional, e, em 1975, Jayme Prawer criou a primeira fábrica de chocolate caseiro da Serra. Outra importante iniciativa foi da Família Perini que fundou o Hotel Serra Azul e criou em Gramado o primeiro hotel com estrutura para receber eventos corporativos.

Antes de passar a ser conhecida nacionalmente, a cidade teve movimentos econômicos muito fortes como o crescimento do setor malheiro, o setor madeireiro, o chocolate caseiro e a gastronomia, segmentos indutores para que, finalmente, o Turismo passasse a ser protagonista. Este último sendo potencializado há pelo menos 40 anos, amparado por uma gama muito forte de eventos com repercussão nacional e internacional.

Este pensar sobre os eventos iniciou nos anos 50 com a criação da primeira grande festa da cidade: a Festa das Hortênsias. O município havia se emancipado em 1954, e a primeira Festa das Hortênsias foi realizada no ano de 1958 sob inspiração de Oscar Knorr e Walter Bertolucci, este último prefeito na época.

As hortênsias, trazidas pelo Sr. Knorr, proprietário do Parque Knorr, hoje o atrativo turístico Aldeia do Papai Noel, eram abundantes e cresciam pela cidade, o que inspirou o primeiro prefeito Walter Bertolucci, a realizar a Festa das Hortênsias. A comunidade de Gramado sempre foi visionária e uma pequena festa de flores, envolvendo escolha de rainhas e princesas, foi uma oportunidade encontrada para reunir na cidade grandes personalidades da época, do mundo da beleza, além de grandes políticos e a imprensa. Com esta iniciativa a cidade que, até então, era um espaço de veraneio, passou a chamar atenção como um novo e promissor destino reconhecido nacionalmente. A corte da festa desempenhava papel importante na divulgação, visitando todo o Brasil e convidando os brasileiros a conhecerem Gramado e a Serra Gaúcha.

Gramado foi liderada por alguns empreendedores visionários como Pedro Bertolucci, prefeito que comandou Gramado por quatro mandatos. Também por empresários como Luciano Peccin que comandou o Natal Luz com empreendedorismo e pioneirismo, além de Enoir Zorzanello que por muitos anos liderou eventos como o Festival de Cinema de Gramado. Juntos, com inúmeros empreendedores voluntários, alçaram Gramado, através de seus eventos, à um patamar diferenciado.

A Festa das Hortênsias, foi o embrião de todos os eventos que vieram a acontecer em Gramado. Foram 12 edições, realizadas a cada dois anos.

O Festival do Cinema, nasceu a partir de uma Mostra Cinematográfica que ocorria junto a Festa das Hortênsias. O Festival abriu as fronteiras do Rio Grande do Sul e do Brasil. Já realizado há 46 anos, através dele e por ele, a imprensa nacional e internacional começou a falar e destacar o destino. O festival que atraía grandes nomes do cinema alavancou o surgimento de outros eventos que começaram a nascer com o objetivo de fortalecer a economia de Gramado e resolver um problema de sazonalidade. Assim foi com a FEARTE - Feira Nacional do Artesanato, a Feira de Móveis, Feira de Malhas e outros eventos voltados para segmentos que começavam a se consolidar na cidade.

Na sequência veio o Natal Luz e, graças a genialidade de um de seus criadores o empresário Luciano Peccin, o evento transformou-se em um produto de apelo nacional, abrindo as portas para que todos os segmentos, e para que pessoas de todas as classes sociais tivessem o desejo de conhecer Gramado. O 1° Natal Luz de Gramado ocorreu em 1986. O espetáculo iniciou com uma caminhada mais de 700 pessoas (cantores), 20 papais-noéis e todos os integrantes da comissão organizadora da 12ª Festa das Hortênsias, entoando cânticos natalinos. Nasceu ali o Natal Luz de Gramado, evento que transformou a economia de toda Região das Hortênsias e que foi o marco para transformação de Gramado em um dos principais destinos turísticos da América do Sul.

Na área corporativa, a visão empreendedora do gramadense Celso Bertolucci, antigo proprietário do Hotel Serrano, hoje Wish Serrano, juntamente com o diretor Enoir Zorzanello construíram, junto ao hotel, o primeiro Centro de Convenções do Rio Grande do Sul e foi com o nascimento do Centro de Eventos, que abriu-se um novo nicho do mercado, época em que nasceu a Rossi e Zorzanello primeira empresa organizadora de eventos. Surgia então, pela Rossi & Zorzanello, o FESTURIS - Feira Internacional de Turismo.

Os eventos cresceram e também Gramado. Natal Luz, Chocofest, Festuris - Feira Internacional de Turismo, Festival de Cinema, Gramado Summit, Festival de Gastronomia, Festa da Colônia, Festival Mundial de Publicidade e outros, são cases de sucesso nacional que alavancam o setor turístico e, somando-se a centenas de eventos corporativos movimentam milhões de reais e atraem milhões de turistas anualmente para a Serra Gaúcha.

Pedro Bertolucci, um dos grandes responsáveis pelo sucesso de Gramado fala que os eventos têm um fator determinante para evitar a sazonalidade que é o grande temor de quem trabalha com Turismo. Os eventos dão sustentabilidade para o setor na baixa temporada. Ele recorda que Gramado teve fases diferentes no setor de Eventos com início na Festa das Hortênsias e o surgimento de outros eventos como Fearte, Festival de Cinema, Natal Luz e Festa da Colônia, todos se desenvolvendo e criando identidade própria.

“Paralelo a isso, foram surgindo os eventos particulares com brilho especial e reconhecimento nacional como o Festuris Gramado, Festival Mundial de Publicidade, Chocofest, além do trabalho de captação do Convention e dos hotéis. Gramado com seus atrativos e sua estrutura que associa Turismo, Negócios e Lazer se torna um destino diferenciado para a realização de grandes eventos. Acredito que com um cuidado para fortalecimento da infraestrutura e segurança a região permanecerá a longo prazo como um dos grandes atrativos do país que reúne Turismo, Lazer, Gastronomia e Negócios”.

Hoje, além de pensar seu futuro e o futuro do Turismo, Gramado aposta no fortalecimento do Turismo de Negócios e Eventos, Turismo Rural, no Empreendedorismo e na Sustentabilidade.

Traçando um paralelo entre Gramado de 30 anos atrás e Gramado de hoje, pode-se concluir que a profissionalização do setor turístico foi fundamental para o fortalecimento do destino e de sua economia. Logicamente algumas ações e ferramentas são fundamentais para este crescimento avassalador como o protagonismo da Feira Internacional de Turismo (FESTURIS) que proporcionou a Gramado a oportunidade de receber profissionais de turismo todo o ano. Um evento que ocorre há 30 anos e que, a cada edição, recebe destinos, marcas e profissionais de todo o mundo para a concretização de grandes negócios, além de colocar a cidade em evidência.

Este evento profissionalizou e fomentou o Turismo em Gramado e foi o indutor do desenvolvimento turístico da Serra Gaúcha reposicionando o Rio Grande do Sul no mapa turístico nacional. São 30 anos e muitos resultados palpáveis para a cidade. Na última edição o evento recebeu mais de 10 mil profissionais do Turismo, mais de 2 mil marcas, 60 destinos internacionais e provocou a geração de 280 milhões de reais em negócios.

Segundo dados do Convention & Visitors Bureau, a Região das Hortênsias atualmente conta com mais de 15 mil leitos, mais de 150 estabelecimentos gastronômicos, mais de 1.200 estabelecimentos comerciais e mais de 50 atrativos turísticos.

Esta infraestrutura é procurada por mais de 6 milhões de turistas que chegam até a região todo ano. O Turismo é responsável por 65% da arrecadação do município e, com mais de 34 mil habitantes, a cidade sedia anualmente cerca de 300 eventos mantidos pela iniciativa privada e pelo menos um grande evento mensal organizado pela Prefeitura. Penso que o espírito empreendedor, a consciência coletiva, profissionalização, ações coletivas e foco na cadeia produtiva do Turismo e Eventos com responsabilidade e muita coletividade, são alguns fatores responsáveis pelo case de sucesso que Gramado se tornou.




Por
19/02/2019

CEO e fundadora do FESTURIS Gramado, diretora da Rossi & Zorzanello Eventos e Empreendimentos. 


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!